CAPACITAÇÃO E TREINAMENTO DE PROFESSORES NAS ÁREAS LINGUÍSTICAS E METODOLÓGICA

PERMÍTASE HABLAR ESPAÑOL...

By - Fernanda Prado

Há décadas venho iniciando e formando alunos. No primeiro contato, eu “palestrava” sobre a importância do espanhol, sobre sua aceitação e validação internacional, dando aos propensos alunos, porcentagens e números atualizadíssimos, na tentativa de impressioná-los com o imenso alcance desse idioma no mundo. Pessoas motivadas sempre mergulham felizes e profundamente na aprendizagem. Tudo sempre fluiu bem nesses começos motivacionais, porque eu sinto e acredito no que eu falo.

Recentemente iniciei mais um grupo em um curso básico de espanhol. Conteúdo dominado, tudo tranquilo. Pois é, tranquilo demais para quem é professor. Os que são, reconhecerão o que digo-sinto. Com tudo pronto, arrisquei o improviso do que já existia dentro de mim. Olhei para aquelas pessoas, e, decidi, por pura inspiração, mudar todo meu discurso. A hipnose que o som do idioma provocara em quem estava me ouvindo, me deu confiança, e falei o que eu, realmente, sempre quis falar para quem tem vontade de aprender a hablar...

Ali tinham pessoas com diferentes histórias, objetivos e expectativas. O único ponto em que se assemelhavam, era a certeza de ouvir muito do mesmo. Foi só começar e tudo transbordou. Preparo não precede inspiração, está tudo impresso na alma.

É uma sensação gostosa dominar outro idioma. No caso do espanhol, ele empodera. Meus alunos, por exemplo, mudam a postura, o timbre da voz, o olhar... Vem uma personalidade outra: o idioma-cultura nos conduz, naturalmente, à teatralidade. Sempre nasce um outro “eu” com o aprendizado, sem dúvida, mais confiante e feliz.

Uns dizem que é um idioma forte, outros que é sensual, outros trazem memórias afetivas, e muitos amam e nem sabem bem o porquê. Fato é que é muito prazeroso! Quando o aluno percebe que a dinâmica não é igual à Língua Portuguesa e que é possível dominar o diferente - é um deleite. Por isso, eu peço a você, leitor deste texto, que se dê uma chance. Duvide, permita-se, apaixone-se: encontre-se. Porque é isso que vai acontecer. Há uma vastidão de novos mundos à espera da sua experiência.

Aprender um novo idioma é exercício de empatia. Há nele marcas históricas de nações que se entrecruzaram. O idioma, assim, carrega hábitos de como existir em cada tempo. Aprendê-lo é uma forma de se expressar através do sentido de novos verbos. Conjugar com outras perspectivas que, no fim das contas, inspiram a pluralidade de nós mesmos. Vivemos em um mundo globalizado que se apresentou à diversidade em séculos de aproximação. Contudo, é na língua do outro, nos ditados específicos, nas onomatopeias tão únicas das fronteiras, que nos realizamos como sujeitos vitrais.

O espanhol faz parte dos meus gestos. Está na minha linguagem como um todo. Percorre o corpo: olhos, mãos, palavras, sensações. Quando aprendi as primeiras expressões, reconheci que poderia me ramificar pelos sentidos. E é este o grande benefício de aprender um outro idioma: ser mais eterno nos mapas. A comunicação é ponte entre o que somos e o que seremos até o contato com o que nos enriquece. A língua espanhola é uma oportunidade sentimental, repleta de intensidade. Através de palavras que se respeitam, a cadência do espanhol tem um ritmo que nos conduz à poesia.

Nada melhor do que sermos alunos da delicadeza. Falar é materializar o que dentro de nós vive com força. Falar em mais de um idioma é existir mais de uma vez.

Entonces, permítase.


FERNANDA PRADO nasceu em 1977, brasileira, mãe e professora desde 1997. Fez Magistério, Direito e Letras. Obteve certificações internacionais pela Language Studies Internacional - LSI - Madrid - e pelo Instituto Cervantes em nome do Ministério da Educação e Formação Profissional da Espanha - DELE C2 - Nivel Maestria. Atualmente, segue dando dando aulas de espanhol.

Contato: maestrafernandaprado@gmail.com

LIVRO RECOMENDADO